MENU

Alta Floresta - MT

Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017

Quatro presos dos 34 que fugiram da cadeia de Poconé (MT) são recapturados

Segurança foi reforçada nas cidades vizinhas e na fronteira com a Bolívia

Sesp/MT

G1/MT

Postada em 16 de Novembro de 2017 às 07h52min

Quatro presos que fugiram da Cadeia Pública de Poconé, foram recapturados na noite de ontem quarta-feira (15) por forças de segurança. A fuga em massa ocorreu no período da tarde, depois que os presos agrediram um dos dois agentes que faziam a segurança na cadeia e levaram as armas da unidade. Todas as cidades no entorno de Poconé estão com policiamento reforçado, inclusive Cuiabá, Várzea Grande, na região metropolitana, e Cáceres.

 

Em nota divulgada às 21h45, a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) disse que foram deslocadas até Poconé equipes especializadas da Polícia Civil, Polícia Militar entre Batalhão de Operações Especiais (Bope), Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam), Grupo Especial de Fronteira (Gefron) e Força Tática.                

Três presos foram recapturados por policiais da Rotam em uma estrada perto de uma rodovia, em direção a Cuiabá. O outro fugitivo foi preso por uma equipe da PM na cidade.


Segundo a Sejudh, os presos da Cadeia Pública de Poconé agrediram os agentes que estavam de plantão no momento do recolhimento do banho de sol, quando eram conduzidos para as celas. Um dos agentes disparou munição não-letal tentando impedir a fuga.

 

No entanto, os presos partiram para cima do agente e o prenderam em uma das celas. Antes de fugir, os presos ainda roubaram armas e munições da unidade. O agente agredido durante a fuga dos presos já foi atendido e está bem, conforme a secretaria declarou.

 

Também foram enviadas de Cuiabá três equipes de agentes penitenciários para dar apoio na unidade prisional e auxiliar na recaptura dos foragidos.

 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, há possibilidade dos presos terem fugido para a região de fronteira com a Bolívia. A segurança foi reforçada na região de fronteira e também em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Para a secretaria, a região industrial pode ser usada como rota de fuga dos presos.