MENU

Alta Floresta - MT

Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017

Governo precisa investir no interior para desafogar Cuiabá, diz vereador

De acordo com ele, a superlotação nas unidades hospitalares se dá pela falta de investimento na saúde dos municípios.

reprodução

Gazeta Digital

Postada em 14 de Novembro de 2017 às 10h20min

O vereador por Cuiabá, Ricardo Saad (PSDB), afirmou que o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) agiu certo em devolver os pacientes sem risco de vida para suas casas, principalmente moradores de cidades do interior de Mato Grosso que foram encaminhados para a Capital. De acordo com ele, a superlotação nas unidades hospitalares se dá pela falta de investimento na saúde dos municípios.

“Se o governo do Estado não está colocando dinheiro na saúde de Cuiabá, como que querem que a Capital atenda pacientes do interior. Não sou a favor de interiorizar. Os deputados estaduais doaram uma ambulância para cada município, isso está errado, porque vai trazer todo mundo para Cuiabá. O certo é melhorar a saúde na cidade deles que ninguém vem”, ressaltou o vereador que também é médico e conhecedor de todos os gargalos da saúde pública e particular em Mato Grosso.

As críticas quanto ao secretário de Saúde do Estado, Luiz Soares, têm sido frequentes no Legislativo Municipal. Saad explica que mesmo oficiando o gestor da pasta para se reunir, ele não consegue ser atendido.

A gestão do secretário seria um dos motivos da crise no PSDB. Na última semana se comentou que o governador Pedro Taques deixaria a legenda depois de ser pressionado em algumas situações. Uma delas seria a troca de comando da Pasta. Apesar dos líderes do partido negarem que tenham interferido na administração de Taques, o descontentamento é geral.

“Se ele tivesse boa vontade ele conseguiria dialogar, mas não aceita receber ninguém. Fui até o governo com a secretária de saúde de Cuiabá e ele se negou ir lá conversar conosco. Acho que o governador tinha que por um secretário que recebe, ou que pelo menos tente administrar a saúde com os recursos que tem”, disse o tucano.

Caos em Cuiabá - O grande número de transferências e encaminhamentos vindos do interior para a Capital resultou em superlotação, insuficiência de insumos, macas, medicamentos e profissionais para o atendimento dos pacientes no Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá.

Cerca de 65% dos pacientes do Pronto-Socorro são do interior, enquanto 35% representam a população da baixada cuiabana (cidades que permeiam a Capital). Atualmente, o hospital conta com 271 leitos, no entanto existiam 346 pacientes internados. Deste total, 163 se encontram nos corredores e recepção da unidade aguardando algum tipo de atendimento.